Artigos de ‘Delírios’

Eco

Publicado em Dom 05/25/08 como Delírios, Leia o artigo

Existe uma série de coisas nas quais eu não penso mais. Talvez seja melhor dizer: não pensava mais.

Deus. Amizade. Sacrifício. Morte. Amor.

Deixei de pensar no amor quando percebi que eu buscava uma âncora, um ponto de referência, quando deveria pensar que o amor só funciona no modelo dar/receber.

Deixei de pensar na morte quando pensei que o amor me serviria de fortaleza contra todo o mal, desconsiderando que o meu maior mal feitor era eu mesmo.

Deixei de acreditar em sacrifício quando percebi que a vida é como uma série numérica, independente do número de elementos que a compõe, se ela convergir, será para um único número conhecido: a morte.

Deixei de acreditar na amizade quando percebi que a vida era feita de pequenos e grandes sacrifícios, e que eu, apesar de já ter feito alguns, não estava mais disposto a passar por isto.

Deixei de acreditar em Deus quando percebi que isto afetava a minha capacidade de fazer, e manter amigos.

Sintomas (ou lá vamos nós outra vez)

Publicado em Sex 02/15/08 como Delírios, Leia o artigo

Reflexão seguida de pedido de desculpas, sendo que normalmente eu seria intransigente sobre o que aconteceu. Babado Novo e Ivete Sangalo mudaram na minha classificação pessoal, que antes era música ruim, para algo muito legal simplesmente porque ativam determinadas memórias. Volta e meia me vejo “revisando” o meu álbum de fotos no Flickr e/ou navegando em sites de medicina especializados em ortopedia ou cibernética. E a gota, nenhuma guria parece ser bonita o suficiente para me chamar atenção.

É! Estes sintomas só podem indicar uma única coisa, estou apaixonado de novo.

Sobriedade

Publicado em Qui 08/31/06 como Delírios, Leia o artigo

A sobriedade é um comportamento solene ou de comprometido pessoal, de moderação ou abstinência no que diz respeito em particular (tipicamente) ao consumo de bebidas alcoólicas ou de outras drogas.
Na programação neuro-lingüística, a sobriedade é o estado de se manter afastado de um vício. Os viciados em drogas costumam dizer que estão sóbrios quando são capazes de se manter afastados de seus vícios diariamente.

Fonte (em inglês): Wikipedia

Eu sou um viciado. E como se isto já não fosse bastante, descobri que sou incapaz de me manter afastado do meu vício.

Pontas soltas

Publicado em Qua 05/10/06 como Delírios, Leia o artigo

Já tem algum tempo que parei de escrever cartas para mim mesmo. Nestas cartas eu escrevia o que estava acontecendo, o que eu estava sentindo e as decisões que tomei, e após um período determinado elas eram abertas. Ficava fácil medir as conseqüências dos meus atos e o impacto que as minhas escolhas tiveram no “meu mundo”.

Após um sonho um tanto quanto revelador que tive dias atrás, resolvi fazer algo diferente das cartas, mas com um objetivo semelhante. Comecei a escrever o roteiro da minha vida!

Saudades do Futuro

Publicado em Qui 12/29/05 como Delírios, Leia o artigo

Acontece comigo às vezes, de sentir saudades de algo que desconheço. Não é uma sensação desagradável, é estranha. Começa com uma inquietação, depois se torna ansiedade, e por fim, percebo que sinto falta, saudades mesmo, de alguma coisa que… não sei o que é, mas que ainda não aconteceu.

O Infinito Finito

Publicado em Dom 02/16/03 como Delírios, Leia o artigo

Já parastes para pensar em quão pequenos somos? Se por um instante fecharmos os nossos olhos e nos imaginarmos se afastando cada vez mais de nós mesmos, onde iremos parar? Talvez além da Terra, da galáxia, ou nos limites do que conhecemos… Mas podemos ir além, podemos ir além dos limites da nossa imaginação. Mas qual é o limite de uma imaginação?